Projeto Gospel - Tudo sobre a Bíblia Sagrada
Início » Perguntas » Os Doze Apóstolos de Jesus

Os Doze Apóstolos de Jesus

Evangelho de Jesus segundo escreveu Lucas registra assim:

“Logo ao nascer do dia, convocou seus discípulos e escolheu dentre eles, doze, a quem também designou como apóstolos” (6.13).

O termo apóstolo significa que determinado individuo recebeu a comissão e a autoridade explícitas daquele que o enviou, nesse caso Jesus. Todavia sem o poder para transferir seus atributos para outra pessoa, ou seja, enviado com uma missão especifica.

É pensando nisso que atualmente muitas igrejas rechaçam a ideia de denominar alguém como apostolo nos nossos dias, entendendo que o termo precisa inclusive ser atribuído pessoalmente a alguém, contudo é possível entender o caminho que todos são convocados para ser discípulos de Jesus e assim expandir o evangelho com o seu viver.

Inicialmente Jesus chamou doze para caminhar consigo e repartir em seu nome o evangelho de reino com a missão clara de conduzir pessoas ao arrependimento dos seus pecados e à conversão ao evangelho da graça que estava sendo propagado com força dia após dia naquele tempo.

A figura dos apóstolos estava automaticamente ligada à pessoa de Jesus, tanto que as pessoas os reconheciam como “aqueles que estavam com Ele” ou “este também é um deles” – Lucas 22.56-58.

Foi o que disseram a Pedro em seu reconhecimento paralelo a prisão de Jesus para ser condenado e morte na cruz do calvário, por exemplo.

Estudo-os-doze-apóstolos

Os Nomes dos Doze Apóstolos…

Os convidados para caminhar mais próximos de Jesus e comissionados à missão de Cristo, os apóstolos, foram: Pedro, André, Tiago, João, Filipe, Bartholomeu (também chamado de Natanael – João 1.45), Mateus, Tomé, Tiago, Simão, Judas – filho de Tiago (Atos 1.13), e Judas Iscariotes – (Lucas 6.12-16).

Todas as listas com essa relação citam Pedro como primeiro nome e Judas Iscariotes como último nome. O Lucas fará uma menção de Judas Iscariotes como “aquele que se tornou o traidor” enquanto o Marcos afirmará: “e Judas Iscariotes, que o traiu” (3.19).

E o que isso significa? Estudiosos da Palavra usam essa diferença para pontuar que o médico Lucas teve a sensibilidade de entender que o Judas não nasceu predestinado a trair Jesus, mas aconteceu nele e através dele porque o mesmo não se permitir ser conhecido em seu coração por Jesus tão pouco ser moldado por Jesus, sendo assim por carregar um coração orgulhoso, o diabo encontrou espaço em sua vida e através dele consumou a covarde traição.

O apóstolo Pedro também traiu Jesus, de outra forma e momento, mas traiu, porém houve arrependimento e isso fez com que ele fosse perdoado e alcançasse a graça de caminhar cheio do Espírito Santo sendo grande ferramenta nas mãos misericordiosas do Deus Eterno.

Eles foram usados por Deus, cada uma na sua forma de ser (personalidade), responderam ao convite, mesmo convite/chamado que está disponível para todos nós hoje – caminhar com Ele como discípulos. E cada um teve um destaque na Palavra, uns de maneira significativa, como Pedro e João.

Como Morreram os Apóstolos

Entre os doze, há três mortes que a Palavra registra:

A morte de Pedro

1 – “Em verdade, em verdade Eu te afirmo: quando era mais jovem, tu te vestias a ti mesmo e ias para onde desejavas, mas quando chegares à velhice, estenderás as mãos e outra pessoa te vestirá e te conduzirá para onde tu não queres ir. Isso falou Jesus, significando o tipo de morte com a qual Pedro iria glorificar a Deus. E assim que terminou de proferir essas palavras, acrescentou: Segue-me” (João 21.18-19).

Clemente de Roma afirma que Pedro foi martirizado, Tertuliano acrescenta que quando Pedro estava para ser amarrado na cruz fora vestido por outra pessoa, Eusébio escreve que Pedro insistira que não era digno de ser crucificado do mesmo modo que Jesus e pedira que fosse de cabeça pra baixo. Portanto, entende-se que Pedro foi crucificado, o mesmo que negou a Jesus agora estava-o glorificando com a sua entrega pelo martírio.

A Morte de Tiago

2 – “Naquela mesma ocasião, o rei Herodes mandou prender alguns que pertenciam à igreja, com o objetivo de maltratá-los e matou a Tiago, irmão de João, por execução ao fio da espada” (Atos 12-1-2). Tiago foi decapitado cerca de dez anos após a ressurreição do Senhor.

A morte de Judas

3 – “Judas atirou então as moedas de prata dentro do templo e, abandonando aquele lugar, foi e enforcou-se” (Mateus 7.5). Iscariotes suicidou-se por enforcamento num ato de remorso ao perceber o que tinha feito.

A morte de André, Felipe, Tomé, Bartholomeu, Tiago, Simão e Judas

4 – Quanto aos demais: Entende que o André e Filipe também foram crucificados. Tomé foi morto por lanças de quatro soldados. Mateus foi martirizado e Bartholomeu decapitado. O outro Tiago (não o irmão de João) apedrejado. Simão e Judas martirizados juntos a machadadas. Esses homens foram vitimas de perseguição religiosa.

A Morte de João

5 – O único que, entende-se, morreu de causas naturais foi o João em torno de 94 depois de Cristo. Lembrando que em 93 depois de Cristo ele estava exilado em Patmos onde todos os presos pela perseguição do governo eram enviados. Foi ali que ele recebeu a revelação do Apocalipse.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.

Cadastre-se e Receba


3 Aulas Gratuitas para aprender Hebraico bíblico e Cultura judaica