Projeto Gospel. Aprenda tudo sobre Teologia!
Início » Histórias » História de Maomé – Veja Quem Foi

História de Maomé – Veja Quem Foi

Maomé, em árabe Muhammad – chamado assim pelos muçulmanos, é conhecido como fundador da religião monoteísta islâmica, isso no século VI na região da Arábia Saudita no Oriente Médio. Nessa época essa região era habitada por 05 milhões de pessoas e essas pessoas eram organizadas em tribos e clãs.

O teólogo Fernando Altemeyer nos conta que “a população até então era na maioria politeísta (politeísmo: sistema ou crença que admite mais de um deus), mas existiam algumas tribos judaicas e algumas de tradição cristã”.

historia-de-maome

Quem foi Maomé

Maomé nasceu por volta dos anos 570 na cidade de Meca, localizada na Arábia Saudita, considerada pelos muçulmanos a mais sagrada de todas as cidades da terra. David Samuel Margoliouth, autor da obra “Maomé e a ascensão do Islã”, nos conta que os pais de Maomé também eram nascidos na cidade de Meca e seus nomes eram Abdallah que tem como significado “Servo de Alá” e Aminha que tem como significado “A Protegia”.

A mãe de Maomé pertencia ao clã de Banu Zuhrah e o pai era filho de Abd al-Muttalib do clã chamado Banu Hashim. David Samuel nos conta ainda que o pai de Maomé faleceu antes do seu nascimento e sua mãe morreu pouco tempo depois de ele ter nascido, portanto tornando-se órfão muito novo, Maomé foi criado por seu tio Abu Talib.

O tumulo dos pais de Maomé, possivelmente, está localizado num lugar chamado Abwa que está no caminho de Meca, sua cidade natal, e Medina, cidade localizada a 300 km ao norte de Meca (Medina: Yathrib – cidade onde morreu o pai de Maomé). Maomé foi um comerciante e casou-se com uma mulher viúva e rica chamada Khadijha, morta nos anos 619, ele morreu nos anos 632, por volta dos 60 anos de idade.

O profeta Maomé

Consta que na faixa dos 40 anos de idade, ou seja, por volta de 610, Maomé começou a sistematizar o islamismo. Maomé, segundo essa religião monoteísta, recebeu revelações de Alá (Deus) por meio do anjo Gabriel.

Essas revelações o tornaram com propriedade o profeta de Alá. A missão de Maomé por meio dessas revelações, segundo resumem estudiosos, era corrigir distorções propagadas por judeus e cristãos das revelações passadas, bem como retirar as tribos árabes politeístas da “era da ignorância” e prevenir o seu povo contra a idolatria para que pudessem buscar e encontrar o verdadeiro Deus.

O Islamismo 

Islã é uma palavra árabe que tem como significado “submissão”. O islamismo é conhecido como uma religião monoteísta, pois é uma doutrina que defende a existência de uma única divindade e por isso o culto e a adoração deve ser prestado a um único deus.

O islamismo considera os escritos do Antigo Testamento Bíblico, contudo não reconhece Jesus como o filho de Deus, como todos os cristãos, mas o consideram como um grande profeta, assim como tantos outros no tempo na história humana.

O calendário islâmico começou a ser marcado nos anos de 622 quando Maomé e seus seguidores foram de Meca para Medina na transição conhecida como Hégira.

Maomé/islamismo

Historiadores ainda contam que os primeiros convertidos ao islamismo são os familiares mais próximos do profeta Maomé. Foi em Medina que Maomé conseguiu mais adeptos ao islamismo, que antes em Meca, por seu monoteísmo, enfrentou certa resistência e perseguição do povo local.

O livro sagrado dos muçulmanos, ou seja, aqueles que obedecem a Alá, segundo Maomé, e o reconhecem como profeta, é o “Alcorão”, derivado do termo “recitar ou declamar”.

O “Alcorão” foi redigido em árabe entre os anos de 610 e 621. Para os muçulmanos, as verdades de Deus estão reveladas nesse livro que conta com 114 capítulos, sendo que entre esses 92 capítulos foram “revelados” a Maomé quando ele estava em Meca e os outros 22 capítulos foram revelados quando Maomé estava na cidade de Medina.

A Bíblia Sagrada dos cristãos não está em ordem cronológica e o “Alcorão” também não, mas é de tal valor para os seguidores da religião islâmica que esse livro é comparado à Torá para os judeus ou ao Novo Testamento para os cristãos.

No islamismo, dois grupos se destacam: os sunitas e os xiitas. Os sunitas são o “povo da Suna e da Coletividade”, esse nome vem por seguirem as palavras e atos de Maomé, além de afirmarem seguir os caminhos da coletividade dos muçulmanos. Enquanto os xiitas, grupo que surgiu após a morte do profeta por uma disputa sobre a liderança da comunidade islâmica.

A Lei Sagrada do Islamismo é chamada de “Sharia” que tem a mensagem de “a estrada”, pela qual Deus orienta que todos os muçulmanos caminhem.

Há cinco pilares que fundamentam essa religião: O primeiro está baseado naquilo que eles acreditam (unicidade de Deus e o reconhecimento de Maomé como profeta), segundo são as cinco orações ao logo do dia em horários determinados que todo seguidor deve fazer (ao amanhecer, meio dia, à tarde, no por do sol e ao deitar), terceiro é uma contribuição anual oferecida pelos muçulmanos em favor dos necessitados, quarto é que durante o mês islâmico do Ramadã jejuns são oferecidos diariamente e quinto é a necessidade de peregrinação à Meca que deve ser feito pelo menos uma vez na vida por todos os muçulmanos em que os peregrinos circuncidam sete vezes um santuário sagrado (Caaba) que fica no pátio da mesquita de Al-Haram.

Conclusão

“Só há um Deus e Maomé é o seu profeta”, essa é a profissão de fé de todos os muçulmanos. O nome de Maomé não é mencionado no cânon das Sagradas Escrituras, tendo em vista, além de todas as considerações fora do cristianismo, à época de seu nascimento e jornada na história, contudo Maomé é o fundador de uma das maiores religiões do mundo.

→ Veja Também: História de Davi

Estatísticas mostram que, pelo menos até 2017, o islamismo era uma das religiões que mais alcançavam adeptos e que, segundo pesquisas, os muçulmanos até o fim do presente século se tornarão o maior grupo religioso do planeta. A Indonésia é o maior país muçulmano do mundo, segundo uma pesquisa divulgada pela revista Exame em 06 de março de 2017.

Nos últimos anos surgiram grupos extremistas de extermínio como o estado islâmico que pregam o radicalismo, contudo a maioria dos muçulmanos consultados pela mesma pesquisa divulgada pela revista Exame disseram condenar ataques suicidas e quaisquer outras formas de violência contra civis “em nome do Islã”.

Quer Memorizar a Bíblia?

Veja como você pode Memorizar Milhares de Versículos Bíblicos. Clique Aqui e conheça esse método.

Mais Vistos Nos Últimos Dias

Copyright© 2014-2018 | Projeto Gospel. Todos os direitos reservados