Início » Histórias da Bíblia » História de Caim e Abel, Quem foi Caim e Abel?

História de Caim e Abel, Quem foi Caim e Abel?

Uma das histórias bíblicas mais conhecidas do Antigo Testamento certamente é de Caim e Abel, ambos eram filhos de Adão e Eva e fazem parte do “pós-principio” de toda a criação (Gênesis 4.1-2), nascendo, Caim e depois Abel, quando o primeiro casal criado já havia caído em pecado.

historia-de-caim-e-abel-completa

Quem foi Caim e Abel?

O Caim cultivava a terra, especialmente naqueles dias considerado um trabalho duro, e o Abel era pastor de ovelhas.

Ambos protagonizaram uma história conhecida de muitas pessoas, porém essa história não é notória pelo seu final feliz, pelo contrário, o fim é uma tragédia. A história de Caim e Abel é a história do primeiro homicídio acontecido na humanidade e demonstra claramente o que um coração sem Deus é capaz de fazer.

Tudo quanto era “obra da carne”, com destaque à inveja, ódio, ira, ciúmes, egoísmo (Gálatas 5.19-21), estava prosperando na vida de Caim e o levou a matar o seu irmão, bem como rejeitar a Deus.

A oferta de Caim e Abel

Um dia, Caim apresentou alguns produtos do solo em oferta a Deus e Abel por sua vez, ofereceu as primícias e a gordura de seu rebanho. Deus aceitou com alegria a Abel e a sua oferta, contudo não se agradou de Caim e de sua oferta.

A oferta de um foi aceita e a oferta de outro foi rejeitada não simplesmente pelas características e quantidades propriamente ditas, mas em especial pelo coração daqueles que estavam ofertando.

A oferta exterior é resultado da oferta interior e Deus leva em conta com muita estima o coração e o que dele parte. Caim ofereceu do seu trabalho e Abel ofereceu as primícias do seu trabalho, isso denuncia o coração dos dois irmãos.

Deus não se surpreendeu com essas atitudes, elas serviram apenas para demonstrar o coração deles e a partir disso Ele mesmo ministra para tentar reverter às situações.

Deus conversou com Caim

Diante desse contexto, Caim ficou muito irado e seu semblante assumiu uma expressão maligna, trazendo a tona os sentimentos do seu coração, pois certamente tudo isso não nasceu ali, apenas se manifestou o que estava oculto, pois nada pode ficar para sempre encoberto.

Então o Senhor perguntou a Caim: “Porque você está furioso? E por qual motivo teu rosto está transtornado? Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Entretanto, se assim não fizeres, sabe que o pecado espreita a tua porta e deseja destruir-te, cabe a ti vencê-lo” (Gênesis 4.6-7).

O Senhor percebe o estado de coisas na vida de Caim e o aconselha a rever seu estilo de vida e as intensões do seu coração, mas Caim dominado pelo pecado não escolhe o caminho do arrependimento que para ele estava sendo proposto.

Caim matou Abel

Em seguida, Caim propôs a seu irmão que ambos fossem ao campo e quando estavam no campo, aconteceu que Caim levantou-se contra Abel e o matou.

Depois desses acontecimentos, o Senhor perguntou a Caim onde estava o seu irmão e o mesmo respondeu: “Não sei, acaso sou eu o protetor do meu irmão” (Gênesis 4.9). A postura dessa resposta de Caim mais demonstra a arrogância no seu coração do que o espaço para o arrependimento genuíno depois desse ato abominável.

E aí exclamou o Senhor: “O que você fez? Ouve! Da terra, o sangue do teu irmão clama a mim. Portanto, agora és mais amaldiçoado que a terra que abriu a boca para tragar, de tuas mãos, o sangue do teu irmão. Quando cultivares o solo, este não te fornecerá mais da sua força, serás um fugitivo errante pelo mundo” (Gênesis 4.10-12).

Mas o Caim apelou ao Senhor dizendo que o seu castigo era maior que ele podia suportar: “Vê, hoje tu me expulsas desta terra e terei de me esconder da tua face, serei um fugitivo errante pelo mundo e qualquer que me encontrar me matará” (Gênesis 4.14).

Caim se entregou a autocomiseração, achando-se injustiçado, buscando fugir do problema e culpando sempre alguém, algo que anteriormente seus pais já havia feito para justificar o pecado (Gênesis 3).

Contudo, o Senhor lhe asseverou: “Não acontecerá assim, se alguém matar a Caim, sofrerá sete vezes a vingança”. (Gênesis 4.15). E o Senhor colocou em Caim um sinal, que as Sagras Escrituras não deixa claro qual sinal era, mas isso serviu como misericórdia para que ninguém que viesse a encontra-lo o matasse e Caim se retirou da presença do Senhor e foi morar na terra de Node, a leste do Éden. Ele retirou-se da presença de Deus.

E no fim das contas, Caim?

Certo dia, perguntaram se Caim havia sido salvo, contudo a Palavra não registra uma atitude de arrependimento e sem arrependimento não há perdão de pecados.

E no fim das contas, Caim deixou se perder e até hoje tem sua história lembrada como um exemplo a não ser seguido.

O certo é que Caim teve descendentes (Gênesis 4.17-24), mas todos esses morreram, inclusive ele se estivesse vivo na época, quando o dilúvio alcançou a terra permanecendo viva apenas à família de Noé e os animais que na arca estavam (Gênesis 6-9).

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.