Projeto Gospel - Tudo sobre a Bíblia Sagrada
Início » Significados Bíblicos » O que Significa Fariseu? – Estudo

O que Significa Fariseu? – Estudo

O grupo conhecido como “fariseus” aparece em destaque em vários trechos bíblicos do Novo Testamento, especialmente em cenários onde os autores descrevem as obras do ministério de Jesus.

o-que-significa-fariseu

O termo “fariseus” é encontrado nos evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João, bem como há menções na carta de Lucas chamada Atos dos Apóstolos.

Um grupo dotado de grande conhecimento das “Leis de Moisés” se opunha extremamente à pessoa de Jesus e, inconformados com a sua forma de ser e se revelar, buscavam meios de coloca-lo à prova com o intuito de desmoralizá-lo, escandalizá-lo, julgá-lo, condená-lo e mata-lo:

  1. “Os fariseus e os saduceus aproximaram-se de Jesus e, para prová-lo, pediram que lhes mostrasse um sinal vindo do céu” – Mateus 16.1.
  2. “Alguns fariseus também chegaram até Ele e, para prová-lo, questionaram-lhe: ‘É lícito o marido se divorciar da sua esposa por qualquer motivo” – Mateus 19.3.
  3. “Alguns dos fariseus estavam procurando uma razão para acusar Jesus, por isso o observavam com toda a atenção, a fim de constatar se Ele iria curá-lo em pleno sábado” – Marcos 3.2.
  4. “Diante disso, retiraram os fariseus e iniciaram, em acordo com os herodianos, uma conspiração contra Jesus, e tramaram um meio de condená-lo a morte” – Marcos 3.6.
  5. “Os doutores da Lei e os fariseus estavam ávidos para achar algum motivo pelo qual pudessem acusar Jesus; e por isso o observavam com toda a atenção, a fim de perceber se Ele o haveria de curar durante o sábado” – Lucas 6.7.

Quem eram os Fariseus?

Denominada como uma seita, os fariseus formavam um grupo respeitado pela comunidade judaico nos tempos de Jesus. Os passos dos fariseus eram bem observados e seus ensinamentos considerados.

Os saduceus, outro grupo da época, pertencentes à elite econômica e às famílias sacerdotais, não criam num agir sobrenatural do Eterno na vida das pessoas, bem como não concordavam com a interpretação que os fariseus faziam das Leis de Deus, contudo ambos – os saduceus e os fariseus – não concordavam ainda mais com a forma de Jesus, o Filho Amado de Deus, se revelar, portanto para fazer oposição a Ele, se uniram e assim estavam a todos instante se colocando na condição de inimigos perseguidores de Jesus.

Os fariseus interpretavam a Lei, buscavam obedecer e ensinar estritamente tudo o que estava escrito. Justos e aprovados aos próprios olhos carregavam uma postura visivelmente exemplar, porém não conseguiam compreender que o propósito do Eterno não é ser religião, mas é ser relacionamento, sendo assim os seus corações estavam distantes Dele.

Uma das principais, se não a maior, implicância com Jesus é que Ele foi cumpridor da Lei, mas oferecedor de uma nova e ampla interpretação.

Cumprir a Lei não significava rejeitar pessoas, por exemplo. Tudo é licito, mas se não houvesse amor, do que adiantaria.

A lei é boa, mas o amor é Deus, portanto a questão era: como Ele sendo quem diz que era pode assentar-se a mesa com grupos de pessoas indignas, blasfemas e pecadoras? Como Ele pode perdoar pecados e curar suas almas olhando “olhos a olhos” e acolhe-la oferecendo uma nova pretensão de vida?

Foi em respostas a grupos como dos fariseus, que colocavam exigências sobre as pessoas impossíveis de serem cumpridas sem a ajuda do Eterno que Jesus propôs o seguinte convite: “Vinde a mim todos os que estais cansados de carregar pesadas cargas e Eu vos darei descanso.

Tomai vosso lugar em minha canga e aprendei de mim, porque sou amável e humilde de coração, e assim achareis descanso para as vossas almas.

Pois o meu jugo é bom e minha carga é leve” – Mateus 11.28-30. A religião é cruel. O relacionamento é santo e curador.

Os Fariseus

Os fariseus eram zelosos com a lei e obedientes às tradições. Os fariseus acreditavam que agir dessa forma agradaria a Deus, não estavam entendendo que um coração sincero e humilde diante Dele é adoração aos seus olhos.

A obsessão dos fariseus os levava a rejeitar pessoas. Os fariseus eram formadores das sinagogas e não podiam tolerar quem dava testemunho de Jesus.

Quando Jesus curou o cego de nascença, aquele homem foi expulso da sinagoga por dar testemunho Dele, assim nos conta o apóstolo João (9.1-34).

As pessoas os respeitavam por medo – “Apesar disso, muitos dentre as próprias autoridades acreditaram nele, mas devido aos fariseus, não declaravam a sua fé, para não serem excluídos da sinagoga” – João 12.42.

A simples aparência que os fariseus preservavam não leva ninguém ao céu, Jesus ensinou dizendo: “E, quando orardes, não sejais como os hipócritas, pois que apreciam orar um pé nas sinagogas e nas esquinas das ruas, para serem admirados pelos outros.

Com toda a certeza vos afirmo que eles já receberam o seu galardão” – Mateus 6.5. E disse mais, como nos conta Lucas: “Vós, fariseus, purificais o exterior do copo e do prato; mas o vosso interior está entulhado de avareza e perversidade” (Lucas 11.39).

Conclusão

Certo dia uma mulher, não sabemos o seu nome, porém o Espírito Santo nos permite saber que ela foi pega em flagrante adultério, os escribas e os fariseus a flagraram e imediatamente trouxeram a presença de Jesus exigindo que Ele a condenasse segundo a lei, o capítulo oito do evangelho de Jesus segundo escreveu João nos conta isso.

Na sequencia desse fato, Jesus com toda a sabedoria que lhe é pertencente autorizou que e lei se cumprisse, ou seja, que ela fosse condenada ao apedrejamento, contudo ensinou a interpretação correta e coerente, sendo que podia condená-la que fosse digno para tal não carregando nenhum pecado.

Depois dessas palavras, um a um abandonou o local sem causar danos a integridade física daquela mulher.

Ao saírem, Jesus apresentou a graça e o amor de Deus a ela, perdoando-a, bem como oferecendo salvação com um aconselho: não peques mais. O perdão era intolerável para quem estava cego pela lei.

Somos discípulos de Jesus e discípulo que é discípulo segue seu mestre. Que Jesus encontre em todos nós um coração sincero diante Dele que viva a Palavra em toda a sua essência e não apenas de falar para ser admirado.

Assim como Jesus foi, que sejamos a cada dia, com um coração sincero e rendido, pois ai Ele nos ajudará no caminho estreito da renuncia. Deus abençoe.

[Total: 6    Média: 3.2/5]

Adicionar comentário

Publicidade