Projeto Gospel - Tudo sobre a Bíblia Sagrada
Início » Perguntas » O que a Bíblia diz Sobre Halloween – Estudo

O que a Bíblia diz Sobre Halloween – Estudo

Halloween é a celebração anual do hoje conhecido “dia das bruxas” que se dá em 31 de outubro, véspera do “dia de todos os santos”, 01 de novembro, que antigamente era em 13 de maio, mas que foi mudado pela Igreja Católica e do “dia de finados”, 02 de novembro.

Sobre a mudança dada para o “dia de todos os santos”, acredita-se, que a tentativa era neutralizar a essência da celebração Samhain de origem celta que veremos a seguir.

o-que-a-bíblia-diz-sobre-halloween

Onde surgiu o Halloween

A celebração do Halloween teve origem no Reino Unido e não nos Estados Unidos, apesar de popularmente a festa no país norte americano ser referencia para os seus seguidores.

Significado da Arvore da Vida

Como surgiu o Halloween

O Halloween teve origem entre o povo celta no continente europeu. Os celtas celebravam o Samhain que comemorava a passagem entre os anos, velho e novo, especificamente no final de outubro e começo de novembro, bem como marcava a mudança de estações. Entende-se que muito do Halloween teve origem no Samhain.

Acredita-se ainda que o período de Samhain era de três dias e que nesse período os mortos retornavam para as suas casas para visitar seus familiares, por exemplo.

Entre o povo celta, deuses diversos eram adorados, portanto o Samhain era também um tipo de celebração ao “deus dos mortos” ou como alguns costumam dizer “rei dos mortos”.

No Halloween, pessoas e especialmente crianças usam fantasias e pedem doces de casa em casa no lugar de fazerem travessuras.

A decoração é composta, entre tantos, pela “famosa caricatura da abobora”, caveiras e fantasmas. Inspirações do Samhain porque naquela celebração comidas eram oferecidas àqueles mortos.

O Halloween, assim como outras datas, tornou-se também comercialmente importante, especialmente em países em que a tradição é preservada.

→ Estudo sobre Ansiedade

Estudo sobre o Halloween

Pois é: a bíblia não cogita essa celebração e tudo o que estiver em desacordo com as Sagradas Escrituras deve ser evitado, com o devido respeito a quem pensa diferente.

  1. Como vimos acima: a origem deve-se à adoração ao “deus dos mortos”: Nós não acreditamos em outro deus senão o Deus Trino, Eterno existente – Pai, Filho e Espírito Santo – (Gênesis 1; Mateus 3.16-17)
  2. Os mortos retornam: Acreditamos na ressurreição dos mortos, porém devido ao arrebatamento da igreja para o encontro com Jesus ou para o julgamento final, assim invalidando qualquer tipo de contato com pessoas que já morreram, pois estes estão aguardando a voz do Eterno chamar para fora de suas sepulturas (1ª Tessalonicenses; 1ª Pedro 4.5).
  3. A morte não foi criada por Deus, a morte é resultado do pecado da humanidade. O Deus Eterno criou pessoas para serem eternas, tendo vida eterna, portanto não há porque celebrar o que Ele não instituiu (Romanos 6.23).
  4. Pessoas e especialmente crianças são induzidas a crer em bruxas, fantasmas e afins, bem como envolverem-se mesmo que indiretamente com magias e bruxarias, encantos, todos provenientes do inferno, obras do diabo. Jesus veio para destruir as obras do diabo e desfazer toda a opressão (1ª João 3.8).

Estudo sobre a santa ceia do Senhor

Conclusão…

Celebre a vida e não a morte. Celebre Jesus e não uma bruxa. Espalhe amor que vem do céu e não engano que vem do inferno.

Valorize-se mais a ação de graças do que a ação de bruxas.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.