Projeto Gospel - Tudo sobre a Bíblia Sagrada
Início » Histórias da Bíblia » O Filho da Viúva de Naim

O Filho da Viúva de Naim

O evangelho de Jesus segundo escreveu Lucas nos conta uma história: “No dia seguinte, partiu Jesus para uma cidade chamada Naim, e com ele caminhavam seus discípulos e uma grande multidão. Ao se aproximar da porta da cidade, estava saindo o enterro do filho único de uma viúva; e grande multidão da cidade a acompanhava.

Ao observá-la, o Senhor se compadeceu dela e a encorajou: ‘Não chores’. E aproximando-se, tocou no esquife.

Então, os que o carregavam pararam. E Jesus exclamou: ‘Jovem, eu te ordeno: levanta-te’. No mesmo instante, o jovem que estivera morto se pôs sentado, e começou a conversar, e assim Jesus restituiu o jovem à sua mãe.

Todos foram tomados de grande temor e louvavam a Deus proclamando: ‘Grande profeta foi levantado entre nós’ e ‘Deus veio salvar o seu povo’. Estas noticias à respeito de Jesus circulavam por toda a Judeia e regiões circunvizinhas” (7.11-17).

O Filho da Viúva de Naim

Naim

Quando ouvimos falar pela primeira vez sobre o “filho da viúva de Naim” podemos até pensar que o narrador da história, nesse caso o médico Lucas, está se referindo a uma pessoa chamada Naim, não é verdade? Porém Naim é uma cidade, provavelmente pequena, pois muitos historiadores se referem a ela como uma aldeia.

O fato é que ao se referir ao “filho da viúva de Naim” está sendo afirmado que a mulher, da qual não temos muitas informações, sequer sabemos o seu nome, e seu filho até então falecido, eram daquela cidade. A cidade de Naim exigia em torno de um dia de viagem a pé de Cafarnaum.

O ministério de Jesus estava se desenvolvendo e sua fama estava se espalhando para todos os lados. Nesse dia Ele resolveu ir à cidade de Naim com os seus discípulos, cercado de uma grande multidão, muitos deles curiosos ávidos por saberem mais sobre Jesus, mas certamente muitos outros necessitados de um toque curador e restaurador que só Jesus tinha para oferecer.

Estudo sobre a Viúva de Naim

Chegando à entrada da cidade de Naim, Jesus se depara com o cortejo fúnebre de um jovem que era filho único de uma viúva daquelas terras e Ele se compadeceu daquela mulher. Certamente aquela cena não causou surpresa em Jesus e a Sua reação frente à mulher não foi um momento isolado durante seu ministério.

O Lucas nos conta que Ele se compadeceu dela e compadecer-se é sentir compaixão, condoer-se, sentir pena, tristeza, comover-se. Um pouco mais adiante, perante a morte de Lázaro, seu amigo, o apostolo João registra assim: “Sendo assim, ao ver Maria chorando, bem como os judeus que vieram com ela, Jesus comoveu-se no espírito e compadeceu-se” (11.33).

Isso nos mostra que Ele não é um Deus indiferente à dor humana e aos contextos que afligem as pessoas, pelo contrário, sendo o “Deus conosco” (Mateus 1.23) que É, decidiu se misturar com a gente demonstrando interesse, compartilhando os sentimentos e momentos se colocando ao nosso lado, acalmando, entendendo, estendendo as mãos, acolhendo com um abraço e foi exatamente isso que Ele fez com essa mãe desesperada antes de realizar o milagre tido como o primeiro dessa natureza em seu ministério, Ele foi até ela e lhe disse: “não chores”.

O Lucas é rico em detalhes e nos conta que esse jovem morto era filho único, portanto além da dor de ter perdido seu marido e agora a extrema dor de sepultar o único filho, essa mulher estaria desprovida em sua velhice que seria de escassez e solidão por não obter mais o amparo físico e emocional que só o filho poderia dar.

Nós não sabemos se ela já tinha ouvido falar de Jesus e nem se ela o reconheceu, mas certamente a sua doce voz acalmou o seu coração como o sol põe fim à noite e o mar se acalma quando a tempestade vai embora.

Jesus Ressuscita o Filho da Viúva

Em seguida, Jesus se aproximou daquele caixão tocando-o, pela tradição o caixão estava aberto, e deu ordem para que a vida voltasse sobre aquele jovem e o homem ressuscitou.

Esse milagre nos mostra que somente Ele tem o poder sobre a vida e a morte e que a última palavra vem Dele, portanto não é o homem que decide o seu futuro, não são as circunstâncias que decidem o seu futuro, não é a crise que decide o seu futuro, não é o diagnóstico que decide o seu futuro, não é o inferno que decide o seu futuro, mas é a Palavra que vem do Alto que decide o seu futuro.

Nós não sabemos quanto tempo mais esse jovem viveu nem quanto tempo a sua mãe possuiu de vida, mas nesse momento ambos renasceram. Jesus tem o poder de fazer tudo renascer, creia nisso.

E a partir desse momento, mais notoriedade Jesus ia ganhando e as pessoas reconhecendo que algo diferente tinha Nele, apesar de alguns o reconhecerem apenas como um profeta, mas outros já sabendo que Ele era o Messias prometido, a promessa cumprida, o anuncio de João Batista em pessoa (João 1.23-27), o Filho Amado de Deus, Salvador.

[Total: 2    Média: 3/5]

Aprender a Bíblia? Veja Isso

GRATUITO