Início » Histórias da Bíblia » História de Sara, Quem foi Sara na Bíblia?

História de Sara, Quem foi Sara na Bíblia?

A história de Sara é contada no livro de Gênesis, ela foi esposa de Abraão e mãe de Isaque. Ela ficou conhecida pelo tamanho de sua fé e por seu apoio a Abraão.

Sara é uma das personagens mais conhecidas nos relatos bíblicos ao lado de seu esposo Abraão e agora olharemos para a sua história de vida.

quem-foi-sara

Quem foi Sara na Bíblia?

Sara foi esposa de Abraão, viveu por cento e vinte e sete anos, já na sua velhice deu à luz a Isaque, o filho da promessa que Deus havia feito a Abraão.

Sara, mesmo com a idade avançada, era uma mulher formosa e sua beleza, bem como por causa da mentira contada por ela e seu esposo, por vezes a colocaram em risco de deitar-se com outros homens, mas em todos os casos houve a intervenção do Eterno para livrá-la e encontrar um caminho para resolver a situação.

Sara, posteriormente apresentada como Sarai, teve seu nome mudado assim como o seu esposo, “num dos encontros dele” com o Eterno ao longo da promessa que para ele estava sendo descortinada.

Sara, ainda, criou um caminho para que Abraão engravidasse sua serva Agar que juntos geraram Ismael, meio irmão de Isaque, antes do nascimento deste.

Sara no Egito

Deus falou com Abraão quando este vivia na cidade de Ur, na Mesopotânia: “Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, e dirige-te à terra que te indicarei! Eis que farei de ti um grande povo: Eu te abençoarei, engrandecerei teu nome, serás tu uma benção! Abençoarei os que te abençoarem, amaldiçoarei aquele que te amaldiçoar. Por teu intermédio abençoarei todos os povos sobre a face da terra” (Gênesis 12.1-3). Então partiu Abraão acompanhado de sua esposa Sara e seu sobrinho .

Durante a sua peregrinação, houve um momento de muita escassez e fome sobre as terras de Canaã, e Abraão desceu ao Egito para ali viver por um tempo.

Chegando ao Egito, Abraão propôs a Sara que dissesse a todos que era sua irmã ao invés de sua esposa, pois alegou: “Tu és uma mulher muito bonita, quando os egípcios contemplarem a sua formosura alegarão: ‘É a mulher dele!’ e me mataram, preservando sua vida. Sendo assim, suplico que diga ser a minha irmã para que me tratem bem por consideração a ti e, por tua causa, conservem também a minha vida” (Gênesis 12.11-13).

Registros históricos indicam que neste momento da vida Sara tinha 65 anos e pelos relatos das Sagradas Escrituras entendemos que ela continuava uma mulher muito bonita.

E aconteceu que quando os oficias da corte egípcia avistaram Sara, se encantaram por sua formosura e ela foi levada à corte de Faraó. O Abraão foi tratado muito bem por causa dela. Contudo, por causa de Sara, o Senhor Deus castigou Faraó, sua família e toda a sua corte com doenças terríveis. Por este motivo, Faraó soube a verdade e questionou porque Abraão havia mentido sobre seu grau parentesco com Sara, de modo que ele a tomasse como sua mulher. E diante disso deu ordem expressas que todo o necessário fosse providenciado a fim de que Abraão deixasse imediatamente o Egito tomando consigo sua mulher e tudo o que possuía (Genesis 12.17-20).

Sara e Agar

Havia uma promessa do Senhor a Abraão: “Olha para os céus e conta as estrelas, se é que podes. Será assim a tua posteridade” (Gênesis 15.5).

O Abraão e a Sara não tinham filhos já na idade avançada, por esse motivo Sara sugeriu que seu marido deitasse com sua serva Agar para que ela gerasse um filho, porém depois que Agar ficou grávida ela começou a tratar mal a Sara e Sara, com permissão de seu marido, passou a maltratar a Agar a ponto de ela optar por fugir de casa (Gênesis 16.1-6), mas por intervenção do Senhor que apareceu a Agar, ela retornou para casa e depois do tempo determinado ela deu a luz a Ismael (Gênesis 16.7-16).

De Sarai a Sara

Novamente Deus falou com o Abraão e como sinal da aliança entre eles, todas as pessoas do sexo masculino deveriam ser circuncidadas: “Todos os do sexo masculino entre vós deverão ser circuncidados na carne” (Gênesis 17.10b). E Abraão cumpriu a orientação dada pelo Eterno: “Naquele mesmo dia, Abraão tomou seu filho Ismael, todos os nascidos em sua casa e os que foram comprados, todos os sexo masculino de sua casa, e os circuncidou, como Deus lhe ordenara” (Gênesis 17.23).

Nesse contexto, vem essa Palavra do Senhor a respeito de Sara: “A tua mulher Sarai, não mais a chamarás de Sarai, mas seu nome passa a ser Sara. Eu a abençoarei, e também por intermédio dela te darei um filho. Em verdade eu a abençoarei e dela procederão muitas nações e grandes reis” (Gênesis 17.16-17).

Sara será mais do “filho da promessa”

O Senhor “apareceu” a Abraão no bosque sagrado dos carvalhais de Manre, quando ele estava sentado à entrada de sua tenda, na hora mais quente do dia, na figura de três homens que Abraão reconheceu “ser da parte do Eterno” (Gênesis 18.1-3).

Enquanto esses homens comiam o que por Sara havia sido feito, e Ele afirmou a Abraão: “Voltarei a ti no próximo ano, então Sara, tua esposa, terá um filho” (Gênesis 18.10).

A Sara escutava tudo atrás dele, na entrada da tenda. Sara e Abraão já eram idosos e o ciclo menstrual de Sara já havia cessado, portanto Sara riu em seu intimo, então o Senhor que tudo conhece questionou a Abraão: “Por que se ri Sara perguntando a si mesmo ser possível dar a luz a essa altura da vida? Acaso existe algo extraordinário demais para o Senhor? Nesta mesma época de primavera, no próximo ano, retornarei à tua presença e Sara terá um filho” (Gênesis 18.13-14).

A Sara ficou amedrontada negando “ter rido”, mas Ele, o Senhor, foi categórico afirmando que sabia que ela tinha tido essa expressão.

Sara nas terras Governadas por Abimeleque

Depois de um tempo acerca desses acontecimentos, Sara ao lado de seu marido peregrinavam para a região do Neguebe e foram viver entre Cades e Sur e mais uma vez, assim como fez no passado nas terras do Egito, ele dizia a todos que Sara era sua irmã.

O rei Abimeleque, na época, então mandou buscar Sara e tomou-a como sua mulher, então o Senhor apareceu ao rei e lhe afirmou: “Vais morrer por causa da mulher que tomaste, porquanto ela é uma mulher casada” (Gênesis 20.3).

O Abimeleque que ainda não havia tocado em Sara questionou ser inocente dessa culpa, pois ela mesma e Abraão haviam afirmado serem irmãos. Então o Senhor lhe disse: “Bem sei que fizeste isso de coração puro, e fui Eu quem te impediu de pecar contra mim, não permitindo que a tocasses. Agora, pois, devolve a mulher desse homem: ele é profeta e intercederá por ti, para que vivas. Mas se não a devolveres, sabe que certamente morrerás, com todos os teus” (Gênesis 20.6-7).

O Abimeleque questionou a Abraão e devolveu Sara. Sara o presenteou para reparar sua ofensa para que todos soubessem que ele era inocente. O Abraão orou pelo rei e esse foi curado ao lado de sua mulher e suas servas, a fim de que pudessem novamente ter filhos, pois o Senhor havia tornado estéreis o ventre de todas as mulheres na casa de Abimeleque, por causa de Sara, a esposa de Abrão.

Sara gera Isaque

Certo dia, o Senhor visitou Sara e fez por ela como prometeu. Sara concebeu um filho de Abraão no tempo que Deus tinha marcado.

O nome do menino era Isaque, então Sara declarou: “Deus me deu grande motivo para sorrir e todos os que souberem desta história muito se alegrarão comigo. Quem diria a Abraão que Sara ainda amamentaria filhos? Todavia, eu lhe dei um filho em sua velhice” (Gênesis 21.6-7).

A morte de Sara

Sara viveu cento e vinte e sete anos. Ela faleceu em Quiriate- Arba, que é Hebrom, em Canaã (Gênesis 23.1-2).

Abraão enterrou o corpo de Sara na gruta do campo de Macpela, defronte de Manre, que se encontra em Hebrom, na terra de Canaã.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.