Início » Histórias da Bíblia » História de Lia

História de Lia

ATENÇÃO - Sempre desejou aprofundar seus conhecimentos em Teologia? Programa Teologia Para TODOS Inscrições Abertas

Veja a História de Lia completa e quem ela foi, tudo em um só lugar… Lia foi uma personagem bíblica relatada pelo autor do primeiro livro do Antigo Testamento do cânon bíblico.

A seguir conheceremos o contexto familiar de Lia, bem como sua história durante aquele primeiro momento da humanidade.

historia-de-lia

Quem foi Lia?

A Lia era a filha mais velha de um homem chamado Labão e tinha uma irmã mais jovem que se chamava Raquel.

O autor do Gênesis irá descrevê-la assim: “Os olhos de Lia eram meigos, mas sem brilho” (29.17a), pode-se entender, entre tantas hermenêuticas, que havia uma tristeza em seu olhar, característica que possivelmente só aumentou devido os acontecimentos num tempo vindouro de sua vida, apesar de a mesma ter encontrado graça no Senhor.

Lia, Raquel, Jacó e os Filhos

A história de lia tem o momento de sua vida. Leia abaixo.

O Jacó amava a irmã mais nova de Lia e para conseguir a mão de Raquel em casamento estava disposto a trabalhar por sete anos para Labão, e assim o fez.

Cumprindo este período de serviços prestados, o Labão não foi honesto em seu acordo. Num determinado dia, ele reuniu todos os homens do lugar para um banquete e ao cair da noite, ao invés de conduzir Raquel até Jacó, ele conduziu a Lia e ambos tiveram relações sexuais naquela mesma noite.

Ao amanhecer, Jacó percebeu que havia dormido com Lia ao invés de Raquel e foi reclamar junto ao Labão, contudo o mesmo indagou em sua defesa que não era tradição daquela região entregar ao casamento a filha mais nova antes da filha mais velha, assim ponderou que Jacó deveria concluir a semana de núpcias com Lia para que depois ele lhe concedesse esposar Raquel unindo ainda a condição de mais sete anos de serviços prestados, assim Jacó se uniu conjugalmente com a Raquel e ambas passaram a se relacionar com ele e isso as levou a um grande desconforto entre si, pois Jacó amou Raquel de todo o coração, muito mais do que Lia.

Por viver nessa condição, sendo de alguma forma rejeitada, mesmo que em partes ou de forma velada, pode-se entender o seu coração e seu olhar.

A Inveja de Raquel

O ambiente entre as suas irmãs foi de inveja por parte de Raquel, pois Lia podia gerar, mas Raquel encontrava-se na condição de estéril.

No tempo a Lia foi abençoada em gerar filhos para Jacó, ao contrário de Raquel que muito demorou para acontecer o mesmo, antes dela até as servas de ambas estiveram na condição de deitar-se e engravidar de Jacó.

A Lia teve filhos de Jacó primeiramente e cada expressão ligada ao nascimento e nome de seus filhos, podemos interpretar o seu coração: O primeiro filho foi Ruben: “O Eterno contemplou a minha aflição, agora meu marido haverá de me amar” (Gênesis 29.32); Em seguida a Lia engravidou de novo dando a luz a Simeão, declarando:

“Porque o Senhor observou que sou desprezada, deu-me mais este filho” (Gênesis 29.33); A Lia concebeu também outro filho chamado Levi e declarou: “Agora, finalmente, meu marido me dará toda a atenção, porquanto eu já lhe dei três filhos” (Gênesis 29.34); Pela quarta vez Lia engravidou e deu a luz a Judá afirmando: “Dessa vez louvarei ao Senhor” (Gênesis 29.35).

Por conta da inveja de Raquel por não poder gerar, a mesma entregou a Jacó sua serva Bila que lhe concedeu filhos e em seguida Lia também tomou sua serva Zilpa e deu por mulher a Jacó e esta também gerou. Diante desses nascimentos Lia declarou quando Zilpa gerou Gade: “Bem aventurada eu sou” (Gênesis 30.11) e quando Zilpa gerou Aser: “Eis que estou realizada, porquanto todas as mulheres dirão que sou muito feliz” (Gênesis 30.13).

Certo dia Ruben, o mais velho de Lia, deu a sua mãe algumas mandrágoras, planta que favorecia a fertilidade e Raquel as pediu, mas Lia contestou dizendo:

“Não é bastante que me tenhas tomado o marido e queres também tomar as mandrágoras do meu filho” (Gênesis 30.15), ficando claro o relacionamento entre as irmãs, contudo Raquel insistiu e em troca cedeu que Jacó dormisse novamente com Lia e o Senhor ouviu o pedido de Lia e lhe concedeu mais filhos três filhos: Ela deu a luz a Issacar, declarando: “Deus me deu meu pagamento, por ter concedido minha serva ao meu marido” (Gênesis 30.18); Mais tarde Lia engravidou denovo e deu a luz a Zebulom, afirmando: “Deus me concedeu um belo presente, desta vez meu marido muito me honrará, pois lhe dei seis filhos” (Gênesis 30.20) e Depois ainda deu a luz a uma filha chamada Diná, que fora violentada por Siquém (Gênesis 34.1).

Depois de tudo, Raquel também foi abençoada por Deus para gerar. Por Deus e não pelo consumo da planta.

A morte de Lia

A Lia faleceu antes de Jacó e foi enterrada numa gruta que estava no campo de Efrom, o hitita, na caverna do campo de Macpela, perto de Manre, em Canaã, campo que Abraão comprou de Efrom, o hitita, como propriedade para sepultura familiar.

Nesse local foram enterrados, além de Jacó, Abraão e sua esposa Sara, Isaque e sua esposa Rebeca (Gênesis 49.29-31).

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.