Início » Histórias da Bíblia » História de Benjamim

História de Benjamim

Procurando por quem foi benjamim ou um pouco mais sobre sua história? Abaixo separamos todos os detalhes sobre como viveu e toda sua trajetória segundo a bíblia sagrada.

História-de-Benjamim

Quem foi Benjamim

Benjamim era filho de Jacó e Raquel (Gênesis 35.16-18). Raquel, sua mãe, faleceu no momento do parto. Sendo filho de Jacó, consequentemente ele era descendente de Abraão e Sara, seus bisavôs, bem como de Isaque que era seu avô.

Benjamim tinha esses irmãos homens que futuramente formariam ao lado dele as “doze tribos de Israel”: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zebulom, filhos de Jacó com Lia. Dã e Naftali, filhos de Jacó com Bila. Gade e Aser, filho de Jacó com Zilpa. Além de José, único irmão do mesmo pai e mãe (Gênesis 35.22-26). Na sua descendência havia ainda, na linhagem da tribo, o Saul (1º Samuel 9.1-2).

Esses foram os filhos de Benjamim: Belá, Béquer, Asbel, Gera, Naamã, Eí, Rôs, Mupim, Hupim e Arde (Gênesis 46.21).

O nome de Benjamim

Inicialmente ele foi chamado de Benoni, filho da minha aflição, pois o parto foi muito difícil, acompanhado de dores além do normal. Entretanto, em seguida, Jacó, seu pai, o chamou de Benjamin, filho próspero (Gênesis 35.18).

Onde nasceu Benjamin?

Benjamin nasceu quando sua família partia rumo à Betel. Seu nascimento se deu numa pequena distância para chegar em Efrata (Gênesis 35.16).

Benjamim no Egito

O Jacó amava mais a José do que a todos os seus outros filhos e seus irmãos percebendo o odiaram, tornando-se tão invejosos que não conseguiam mais lhe falar de maneira amigável.

Após José ter-lhes contado dois sonhos em que o mesmo reinava numa posição de autoridade sobre os demais, seus irmãos arderam de ciúmes dele.

Sendo assim, seus irmãos, após esses acontecimentos, tramaram a sua morte e só não executaram seus malignos planos por intervenção de Rubén, contudo Judá, outro irmão da família, sugeriu que José fosse vendido a alguns mercadores ismaelitas e seus irmãos o ouviram e completando o plano, José foi levado vendido ao Egito.

Para que houvesse uma justificativa plausível ao Jacó, os irmãos degolaram um bode e ensoparam de sangue a túnica de José e mandaram entregar ao pai, e o mesmo pensou que se tratava do seu filho que havia sido devorado por um animal selvagem. Jacó ficou arrasado com a suposta morte de José.

Passado alguns anos, José foi feito governador sobre o Egito e Jacó, naquela época, mandou seus filhos irem até lá para comprar cereais, pois a fome assolava toda a terra de Canaã, contudo Benjamin, único irmão por parte de pai e mãe de José, não os acompanhou porque dizia Jacó:

Para que não lhe suceda, acaso, alguma desgraça” (Gênesis 42.4). Ainda depressivo pela perca de José. Entende-se também e o que muitos acreditam é que depois da ausência de José, Benjamim tornou-se o “filho mais amado.

Chegando ao Egito, o José, sendo governador, era responsável pelas vendas dos mantimentos. Logo que viu os seus irmãos, José os reconheceu, todavia eles não o reconheceram. Seus irmãos voltarão para a terra de Canaã, contudo Simeão ficou preso no Egito, pois José queria ver a Benjamin e ele era a garantia.

Passados esses acontecimentos e após terem conseguido convencer Jacó de levarem consigo à Benjamim, os homens tomaram os presentes orientados por Jacó para serem entregues e ainda o dinheiro, bem como Benjamin, partiram e desceram ao Egito para se apresentarem diante de José (Gênesis 43.15).

Já no Egito, José mandou soltar Simeão e os indagou quando viu a Benjamin: “É este o vosso irmão caçula, de quem me falaste?” E dirigindo-se a ele proferiu: “Que Deus te conceda graça, meu filho” (Gênesis 43.29). Todos foram convidados a fazer uma boa refeição à mesa e a porção de Benjamin era cinco vezes maior do que a dos outros.

Ao serem dispensados para voltarem embora, os irmãos ainda não sabiam que se tratava de José e o governador deu uma orientação aos seus servos: “Deposita a minha taça, a taça de prata, na boca da saca de cereal do irmão mais moço, junto com o dinheiro pago pelo mantimento” (Gênesis 44.2), e assim aconteceu.

Quando os servos do governador foram atrás dos meninos, obviamente a taça foi encontrada com Benjamim e este foi ameaçado, mas seus irmãos indagavam que qualquer coisa que acontecesse com Benjamin, especialmente a morte, seria uma noticia devastadora para Jacó.

Nesse cenário todo, José declarou aos seus irmãos quem ele realmente era: “Eu sou José!” (Gênesis 45.3) e “ele se lançou ao pescoço de seu irmão Benjamim e chorou. Benjamim também o abraçou forte e chorou muito” (Gênesis 45.15).

Mais informações sobre Benjamim

Antes da sua morte, Jacó liberou uma palavra sobre todos os seus filhos abençoando-os e em relação ao Benjamim, o mesmo declarou: “Benjamim é um lobo predador, ao alvorecer ele devora sua presa e ao pôr do sol divide o despojo! Todos esses filhos de Jacó formam as tribos de Israel, em numero de doze, e foram essas as palavras profetizadas por seu pai quando os reuniu. Ele os abençoou a todos, todavia a cada um deu uma palavra particular” (Gênesis 49.27-28). A palavra sobre Benjamim pode ser entendida como a reputação de bravura que futuramente a sua tribo alcançou.

A morte de Benjamim

Não há informações sobre a morte de Benjamim, nem outros registros bíblicos que possam detalhar mais a sua história à parte do que aqui foi contado.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.