Projeto Gospel - Tudo sobre a Bíblia Sagrada
Início » Parábolas de Jesus » Parábola do Servo Vigilante

Parábola do Servo Vigilante

“Eu busco tempo para tantas coisas, são tantos planos para pouco tempo, em meio a tudo o que exige tempo, eu já não tenho tempo para falar com Deus. Eu me disponho para o trabalho e sem notar em perco o horário, só resta tempo pra fechar a porta pra tudo que na realidade importa, não tenho tempo para descansar, rever amigos e conversar, já não consigo me assentar à mesa e alimentar o que a alma almeja, e quando eu quero viver o tempo, tal fumaça some num momento, e antes que tudo perdido esteja e antes que tarde demais eu perceba que: ganhei o mundo, perdendo a alma, tentei de tudo, me vi sem calma, busquei tão longe quando tão perto, teria tudo do jeito certo, vencer o senhor deste mundo, vem ser o Senhor da minha vida em todo tempo”.

Essas frases formam uma música escrita pelo cantor e compositor Paulo César Baruk.

A música escrita acima é tão real e atual, encaixa-se no dia a dia de tantas pessoas ao redor do mundo. O tempo está escasso mesmo ou está mal aproveitado? Sabemos administrar o tempo ou o tempo está descontrolado?

O nosso tempo é focado no egocentrismo ou no “Cristo centrismo”? Estamos aéreos ou vigilantes? Ah, o tempo! Dádiva para os sábios, pena para os imprudentes.

A Segunda Vinda de Jesus Cristo está próxima ou o Senhor tardará? Alguém pode perguntar: Quando será? E outro pode responder: Eu não sei, mas certamente demorará! E passou-se o tempo e aquele que estava como um “servo vigilante” ao lado se foi e ele nem percebeu (Mateus 24.40-44).

Parábola-do-Servo-Vigilante

A Parábola do Servo Vigilante

O Senhor Jesus oferece-lhes a seguinte parábola dizendo: Estejais prontos para servir e conservai acesas as vossas candeias. Sede vós semelhantes aos servos, quando esperam seu Senhor voltar de um banquete de casamento, para que assim que chegar e anunciar-se, possais abrir-lhe a porta sem demora.

Felizes aqueles servos a quem o Senhor, quando vier, os encontre vigilante, com toda a certeza vos asseguro que Ele se vestirá para os servir, fará que se reclinem ao redor da mesa, e pessoalmente irá ao encontro deles para servi-los.

Ainda que Ele chegue durante a alta noite ou ao raiar do dia, bem aventurados os servos que o Senhor encontrar preparados. Compreendei, entretanto isto: se o pai de família soubesse a que hora havia de vir o assaltante, não permitiria que a sua casa fosse invadida. Ficai também vos alertas, pois o Filho do homem virá no momento em que menos esperais.

Então Jesus foi interrompido por Pedro com a seguinte pergunta: Senhor, estás propondo esta parábola para nós ou para todas as pessoas?

E Jesus lhe respondeu: Quem é, portanto, o administrador fiel, que age com o bom senso, a quem seu Senhor encarrega dos seus servos, para ministrar-lhes sua porção de alimento no tempo devido?

Feliz o servo a quem o seu Senhor surpreender agindo dessa maneira quando voltar. Asseguro-vos que Ele o encarregará de todos os seus bens. Todavia, imaginai que esse servo pense consigo mesmo: “Meu Senhor tarda demais a voltar”, e por isso comece a agredir os demais servos e servas, entregando-se à glutonaria e à embriaguez.

Entretanto, o Senhor daquele servo voltará no dia em que ele menos espera e num momento totalmente imprevisível e o punirá com todo o rigor e lhe condenará ao lugar dos infiéis. Aquele servo que conhece a vontade de seu Senhor e não prepara o que ele deseja, nem age para agradá-lo, será castigado com extrema severidade.

Contudo, aquele que não conhece a vontade do seu Senhor, mas praticou o que era sujeito a castigo, receberá poucos açoites. A quem muito foi dado, muito será exigido e a quem muito foi confiado, muito mais ainda será requerido. (Lucas 12:48,49).

A parábola do servo vigilante x A parábola das dez virgens

A mensagem de Jesus começa fazendo uma clara menção a parábola das dez virgens (Mateus 25.1-13). Nessa parábola cinco virgens tinham azeite reserva para as suas candeias e as outras cinco não tinham azeite reserva para suas candeias.

Logo a noite foi-lhes anunciado que o noivo estava chegando. As cinco virgens preparadas O aguardavam, contudo as cinco imprudentes (sem azeites) foram comprar para reposição, porém nesse período o noivo chegou e elas não estavam, assim quando retornaram, o noivo já se encontrava com as portas fechadas e com ele as “preparadas”, contudo as imprudentes foram rechaçadas e lançadas fora”.

Há algumas versões, como a “NVT – Nova Versão Transformadora”, que apresentam esse versículo (número 35) dessa forma: “Estejam vestidos, prontos para servir, e mantenham suas lâmpadas acesas”. O termo “estejam vestidos” está ligado ao costume oriental de amarrar as longas vestes à altura da cintura para favorecer os movimentos corporais para qualquer situação de emergência ou deslocamentos, caso houvesse necessidades.

Nesse primeiro versículo da parábola, Jesus diz que devemos estar sempre prontos para servir e isso quer dizer que devemos ser “livres de tudo que nos prendem a velha vida”.

Vigilantes quanto ao pecado que tira a dignidade humana e danifica o testemunho. Vigilantes e prontos numa vida de santidade:

“Assim sendo, estai com a mente preparada, prontos para agir, alertas, depositai toda a vossa esperança na graça que vos será outorgada na pela revelação de Jesus Cristo; Como filhos da obediência não permita que o mundo vos amolde às paixões que tínheis outrora, quando vivíeis na ignorância. Porém, considerando a santidade daquele que vos convocou, tornai-vos, da mesma maneira, santos em todas as vossas atitudes. Porquanto, está escrito: Sede santos, porque Eu Sou Santo” (1 Pedro 1.13-16).

Extra, extra, extra: O mundo acabará amanhã de manhã!

Imagine acordar num dia e todos os noticiários impressos ou digitais apresentarem essa manchete: O mundo acabará amanhã de manhã! E se “amanhã de manhã” foi essa manhã ou a manhã de ontem?

Jesus continua o seu discurso ali falando sobre uma “vigilância tão necessária” como a “de um servo que aguarda o retorno do seu Senhor” ou de “um pai de família que ficaria de guarda se soubesse que o assaltante invadiria a sua casa naquela noite”. Sede vós assim, disse Ele. Sempre atentos, pois o Filho do homem (Jesus) virá no momento em que menos esperais.

Será que a geração do “Fast Food” será pega despercebida? Esse termo é usado para ilustrar que vivemos querendo tudo “para ontem”, isso tira a nossa atenção e, na realidade, vivemos como se Jesus não fosse mais voltar. Sabemos que Ele voltará, mas vivemos como se isso não fosse acontecer porque os nossos antepassados já diziam isso e se passaram muitos anos. As palavras do Senhor se cumpriram no seu devido tempo.

Alguém pode dizer: “meu Senhor tarda demais a voltar” e por isso comece a agredir os demais e entrega-se a glutonaria e a embriaguez. Contudo, como alguém pode afirmar isso? Acaso o homem tem poder de acrescentar um segundo sequer sobre sua história (Mateus 6.27).

Um alerta: Jesus voltará para buscar a sua noiva (a igreja), contudo Ele pode voltar para você nesse exato momento. Para você e só para você. A saber: a permissão da morte física.

Para quem é essa palavra?

Pedro: “Senhor, estás propondo esta parábola para nós ou para todas as pessoas?”. Pedro, essa palavra é para todos os servos do Senhor que viverem no intervalo histórico entre a ascensão e o retorno do Senhor Jesus. É para nós. Saiba: “Eu te encorajo solenemente, na presença de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, por ocasião da sua manifestação pessoal e mediante o seu Reino” (2ª Timóteo 4.1).

E agora?

Disse Jesus: À quem muito foi dado, muito será exigido, a quem muito foi confiado, muito mais ainda será requerido. Aquele que conhece a vontade de seu Senhor e não prepara o que ele deseja, nem age para agradá-lo, será castigado com extrema severidade. Aquele que não conhece a vontade do seu Senhor, mas praticou o que era sujeito a castigo, receberá poucos açoites.

Haverá uma consequência pelo que se faz, contudo pelo que também não se faz tendo a consciência do que é correto: “Refleti sobre isto, pois: Quem sabe que deve fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tiago 4.17). A minha e a sua negligencia também é pecado.

A vontade do Senhor, como conhecer? Leia a Bíblia, Ore e Jejue. Isto é intimidade. A ovelha reconhece a voz do seu pastor. O servo reconhece a voz do seu Senhor. O amigo reconhece a voz do seu amigo. O filho reconhece a voz do seu pai. Além disso, todos estes conhecem o Seu coração.

A Grande Misericórdia

Ele é bom e isso ninguém pode questionar. A grande misericórdia está nesse alerta que Ele mesmo nos dá. Sede como as cinco virgens da parábola com azeites reservas. Sede como o servo vigilante. Sede santos porque Eu Sou Santo. Sede como o filho que aguarda a vinda do Pai. Maranata! Ora vem Senhor Jesus.

[Total: 2    Média: 3.5/5]

Publicidade