Início » Parábolas de Jesus » Parábola das dez Vírgens

Parábola das dez Vírgens

O evangelho segundo Mateus conta-nos essa parábola de Jesus em meio a um dos seus ensinamentos aos seus discípulos iniciado com a pergunta vinda deles:

“Dize-nos quando ocorrerão estas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do final dos tempos?”. E Jesus começa a explicar-lhes. É interessante observar o detalhe de Matheus Levi, apóstolo de Jesus e autor desse evangelho, ao dizer que antes de ouvir essa pergunta “Jesus assentou-se no monte das oliveiras” e ai chegaram seus discípulos com essas questões (Mateus 16.3).

A atitude de assentar-se demonstra uma posição de ensino, pois é assim que o “Rabi”, grande mestre e professor, se portava em suas funções.

A partir da sua resposta, Jesus começa contar-lhes os acontecimentos que estavam por vir, dando-lhes a certeza que suas palavras são fieis e dignas de todo o crédito, pois Ele afirma que até “céu e a terra passarão, mas que suas palavras jamais passarão” (Mateus 24.35). Sua fala está carregada da necessidade de estarem “sempre atentos” quanto a sua vinda, pois “o Filho do homem – Jesus – virá no momento em que menos esperais” (Mateus 24.44).

parábola-das-dez-virgens

A Parábola das Dez Virgens

Portanto, Jesus lhes propõe nesses ensinos a “parábola das dez virgens” que é uma continuação daquilo que Ele já está descrevendo e diz:

“O Reino dos céus será semelhante a dez virgens que pegaram suas candeias e saíram para encontrar-se com o noivo” (Mateus 25.1).

A partir daí ele conta que das dez virgens, cinco eram sábias e as outras cinco eram inconsequentes. As inconsequentes, ao saírem para encontrar o noivo, não pegaram óleo reserva para as candeias, enquanto as sabias foram prudentes e levaram óleos reservas.

Jesus continua dizendo que num determinado momento as dez pegaram no sono e à meia-noite ouviram um grito que o noivo estava vindo e então deveriam acordar.

Ao acordarem, foram preparar as candeias, porém as inconsequentes não tinham óleo para manter as candeias acesas, enquanto as sabias tinham o óleo reserva, mas não poderiam emprestar-lhes porque se não faltaria para as suas próprias candeias.

A parábola conta que as inconsequentes saíram para comprar mais óleo, contudo neste meio tempo o noivo chegou. As virgens que estavam preparadas entraram com ele para o banquete e a porta foi fechada.

Entretanto, mais tarde, quando as cinco imprudentes chegaram encontram a porta fechada e começaram a chamar pelo noivo que respondeu:

“Com certeza eu vos afirmo que não os conheço”. Portanto, disse Jesus, vigiai, pois não sabeis o dia, tampouco a hora em que o Filho do homem chegará (Mateus 24.2-13).

A tradição e as candeias

Os casamentos judaicos na época de Cristo havia duas fases: A primeira o noivo participava com a família da noiva na casa dele de um evento de entrega e na segunda o noivo levava para um grande banquete em sua casa.

As candeias eram grandes tochas feitas com longas varas, com trapos enrolados em uma das pontas, embebidos no óleo e capazes de ficarem acesas ao ar livre.

Conclusão da Parábola das dez Virgens

É certo que Jesus voltará para buscar a sua noiva (a igreja), contudo a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão exclusivamente o Pai (Mateus 24.36), aqui Ele está dizendo que o noivo chegou e as virgens imprudentes foram pegas desprevenidas, ficaram de fora do banquete e ouviram do noivo “para apartar-se dali, pois ele não as conhecia”.

Semelhantemente Jesus disse que “muitos dirão a mim naquele dia: ‘Senhor, Senhor… não temos nós profetizado em teu nome? Em teu nome não expulsamos os demônios? E, em teu nome, não realizamos muitos milagres? Então lhes declararei: Nunca os conheci. Afastai-vos da minha presença, vos que praticais o mal” (Mateus 7.22-23).

Porque aquelas cinco virgens não levaram óleo suficiente para aguardar a chegada do noivo? Será que elas duvidavam da sua vinda? E você está parecido com as sábias ou com as imprudentes? Sua candeia está acesa ou está faltando óleo? E elas foram comprar achando que dava tempo de retornar?

Sabe querido leitor, Jesus não está dizendo simplesmente que ficará para fora do banquete as imprudentes ou distraídas e que entrará as sábias e atentas. Jesus está dizendo algo mais profundo: O óleo aqui pode representar o Espírito Santo e todo àquele que crê e entrega a sua vida a Jesus recebe o Espírito e ao que continuar firme até o final será salvo (Mateus 24.13).

Ao receber o Espírito uma obra começa a acontecer em nós e se nos permitirmos Ele começa a nos transformar, a cada dia mais parecido com o Ele, para completar a sua obra naquele dia. Aquele que se permite conhecer e entrega-se de todo coração, conhece ao Senhor e Pai e é conhecido Dele, portanto jamais ouvirá que deve se apartar, no Grande Dia.

Muitos ainda vivem a vida como se desse tempo de voltar depois, contudo ninguém sabe a hora que o noivo chegará e ninguém sabe a hora que Ele nos chamará, por isso haja como as prudentes e mantenha sua candeia acesa dia após dia.

Deus abençoe a sua caminhada até Aquele Dia, querido leitor.

 

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.