Início » Curiosidades Bíblicas » Paulo e Silas na Prisão – Estudo Completo

Paulo e Silas na Prisão – Estudo Completo

A história da prisão de Paulo e Silas é uma das mais conhecidas do Novo Testamento, porém porque eles foram presos, o que aconteceu quando eles estavam na prisão, qual o propósito de tudo isso e como eles foram soltos? Encontraremos respostas para essas questões a seguir. Referência bíblica: Atos 16.16.40.

paulo-e-silas-na-prisao

A jovem escrava da Adivinhação

Paulo e Silas estavam em direção ao lugar de oração e ao encontro deles saiu uma jovem que estava possuída por um demônio que a escravizava e a usava para fazer adivinhações futuras.

Para os gregos, uma pessoa que tinha a capacidade de adivinhar o futuro era alguém possuída pelo deus Píton, uma serpente mítica adorada pelos habitantes de Delfos e associada ao oráculo délfico.

Estudiosos afirmam que uma das características dessas pessoas era falar sem mover os lábios normalmente, como se a voz saísse do estômago, por isso, eram também chamadas de “ventríloquos”.

O serviço dessa moça possuída por esse espírito maligno era capaz de arrecadar muito dinheiro para os seus senhores (donos) e estes por sua vez a cada dia enriqueciam mais proveniente da enganação que partia da jovem.

A libertação da Jovem Escrava da Adivinhação

Essa moça, seguindo Paulo e Silvas por vários dias, gritava e insistia em declarar para que todos ouvissem: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação”. Paulo irritou-se com a situação e dirigiu-se ao espírito maligno que dominava aquela moça e o repreendeu no nome de Jesus expulsando-o:

“Ordeno a ti em Nome de Jesus Cristo, retira-te dela”, disse ele, e naquele mesmo momento o demônio saiu e a moça foi liberta. O nome de Jesus sempre foi, é ainda hoje e sempre será o nome que está acima de todo nome (Filipenses 2.10) e tem toda a autoridade no céu e na terra (Mateus 28.18).

A acusação e condenação de Paulo e Silas

O que era um bom negócio para os senhores daquela jovem estava arruinado e eles tomados de muita ira agarraram Paulo e Silas e os arrastaram para a praça principal da cidade, diante das autoridades, e os acusaram: “Estes homens, sendo judeus, perturbam a nossa cidade pregando costumes que a nós, romanos, não é lícito acatar e tampouco praticar”.

A multidão que assistia e ouvia tudo, unânime os atacou e as autoridades rasgando as roupas dos dois ordenaram que fossem açoitados.

Paulo e Silas foram Jogados na Prisão

Depois de serem espancados com toda a violência até seus espancadores cansarem, Paulo e Silas foram jogados na prisão e o carcereiro de plantão recebeu a seguinte ordem: “Vigie-os com toda a atenção para que não escapem de maneira nenhuma”. Diante dessas expressas ordens, ele os lançou no cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco.

O sobrenatural na vida de Paulo e Silas

Por volta da meia-noite, Paulo e Silas estavam orando e entoando hinos de louvor a Deus, enquanto os demais presos os ouviam.

De repente, aconteceu um terremoto tão violento que os alicerces da prisão foram abalados. No mesmo momento, todas as portas se abriram e as correntes que prendiam a todos se soltaram.

O Carcereiro Tenta Suicídio

O carcereiro que estava de plantão dormia nesse momento, contudo com esses acontecimentos ele despertou do sono e, vendo todas as portas abertas, tirou a sua espada para se suicidar, pois imaginou que todos os presos haviam escapado e ficou atemorizado pelo que estava por acontecer com ele quando as autoridades ficassem sabendo dessa catástrofe, pois pelas leis romanas, se um preso fugisse (não importasse qual fosse o motivo), a vida do guarda responsável era exigida no lugar (Atos 12.19).

A salvação da Casa do Carcereiro

No entanto, nesse momento Paulo gritou: “Não faça isso, estamos todos aqui”. Então, o carcereiro pediu luz, correu para dentro e, trêmulo, atirou-se aos pés de Paulo e Silas. Em seguida, os conduziu para fora e pediu: “Senhores, o que preciso fazer para ser salvo?”.

E eles responderam: “Crê no Senhor Jesus e assim serás salvo tu e os de sua casa”. E lhe ministraram a Palavra de Deus, bem como a todos da sua casa. Naquela mesma noite, tomando-os consigo, lavou os ferimentos e logo foi batizado – ele e as pessoas da sua casa.

A liberdade de Paulo e Silas

Logo que amanheceu, as autoridades mandaram os oficiais de justiça falar com o carcereiro dando a seguinte ordem: “Põe aqueles homens em liberdade”.

O carcereiro informou essa nova ordem a Paulo, mas o mesmo contestou: “Sendo nós cidadãos romanos, açoitaram-nos diante do povo sem processo condenatório formal e nos atiraram no cárcere. Agora, porém, querem que saiamos sem que nos veja? De modo algum! Que eles venham e pessoalmente nos proclame livres da condenação”.

Os soldados levaram essa reivindicação às autoridades e eles ficaram apavorados quando foram informados de que Paulo e Silas eram romanos.

O Pedido de Desculpas a Paulo e Silas

As autoridades foram até Paulo e Silas, pediram desculpas e levando-os para fora da prisão, rogaram que se retirassem da cidade e assim eles deixaram a prisão e seguiram viagem. Essa atitude fez com que houvesse o direito para o reconhecimento da cidadania dos cristãos, especialmente por parte dos romanos.

A partir de agora, segundo informações de estudiosos, todos teriam mais cuidado no trato e no respeito para com os crentes de Filipo. Essa noticia se espalharia por toda Roma, embora as perseguições e tudo o que elas representam jamais deixassem de acontecer contra a igreja do Senhor.

Conclusão

A obra do Senhor e o legado deixado por Jesus continuava expandindo: uma jovem foi liberta, uma família recebeu a salvação (o maior de todos os milagres – muito maior do que os alicerces da prisão serem abalados por um terremoto – Deus coordena tudo e por um acaso isso seria grande demais para Ele) e o reconhecimento para os cristãos na época foi conquistado (apesar das perseguições recorrentes a todos os crentes – Mateus 5.11-12).

Tudo tem um propósito e Deus é especialista em transformar até a aparente maldição e caos em grande benção, basta apenas disposição por parte dos seus amados.

Não precisamos entender tudo, precisamos apenas viver para ver o milagre e conhecer a Deus mais e mais, assim como Jó que ao final pode dizer:

“De fato, meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, contudo, agora os meus olhos te contemplaram” (Jó 42.5).

Ao serem presos, Paulo e Silas poderiam trocar a oração e o louvor pelo lamento e murmuração, mas continuaram seguros Naquele que os chamou para obra e cientes de que o seu galardão era grande, o sobrenatural aconteceu, para testificar e testemunhar da fé para muitas gerações, contudo poderia ser apenas para a salvação daquele carcereiro e de seus familiares. Jesus mudou a rota certa vez para conquistar uma mulher em Samaria da maneira mais improvável (João 4.1-38) porque para Deus não existe obra pequena ou acaso, existe santas estratégias para alcançar vidas. Tudo tem um propósito. Creia nisso.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.

Miguel Leme

Criador do Projeto Gospel, desenvolveu o projeto para levar a palavra de Deus ao máximo de pessoas possível, através da Internet. Juntamente com alguns colaboradores traz “estudos, sermões, histórias, significados entre outras categorias relacionadas”.